Estúdios de Hollywood acusam Google de lucrar com pirataria

Um grupo de importantes companhias de mídia acusou o Google de se beneficiar com a venda de filmes pirateados e de fornecer apoio a dois sites suspeitos de oferecerem acesso a downloads ilegais, publicou o Wall Street Journal nesta segunda-feira, 12. As empresas de mídia, que segundo o jornal incluem News Corp, Viacom, Sony, NBC Universal, Time Warner e Walt Disney, alegam que o Google deliberadamente direcionou tráfego para sites que estão dedicados a fomentar a pirataria. O jornal citou fontes próximas do assunto. O Google informou aos estúdios na sexta-feira que vai implementar novas medidas para resolver os problemas. O jornal informou que as acusações contra o Google são baseadas em declarações juramentadas de dois homens acusados de operar sites que supostamente ajudam internautas a ter acesso a downloads ilegais de conteúdos com direitos autorais reservados. Os testemunhos indicam que o representantes do Google venderam anúncios aos dois sites sabendo das atividades deles e que tiveram relacionamento próximo com os acusados. Enquanto isso, rumores entre várias companhias de mídia para a criação de um serviço que rivalize com o YouTube, do Google, voltaram a surgir, informou o jornal, citando executivos das empresas envolvidas nas discussões.

Agencia Estado,

12 Fevereiro 2007 | 12h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.