Estudo britânico identifica déjà vu em voluntário cego

Um cego sofrendo de déjà vu (literalmente, "já visto") parece uma contradição em termos, mas pesquisadores da Universidade de Leeds encontraram um exemplo, no que parece contradizer uma das explicações clássicas para o fenômeno, que diz que o déjà vu seria provocado pelo atraso na chegada do sinal de um dos olhos ao cérebro. O déjà vu é a sensação de já ter visto antes um objeto que é apresentado pela primeira vez ou, de forma mais genérica, de já ter passado por uma experiência idêntica à atual . Em artigo publicado no periódico Brain and Cognition, os pesquisadores Akira O?Connor e Chris Moulin descrevem como experiências comuns - abrir o zíper de uma jaqueta ao som de uma música em particular; ouvir um pedaço de conversa enquanto se segura um prato em um refeitório - atuaram desencadeando déjà vu no voluntário cego. A tese de O´Connor, que deverá ser publicada no próximo ano, trata da indução de déjà vu por meio de hipnose. "Acreditamos agora que essas experiências são causadas quando uma área do cérebro que lida com a sensação de familiaridade funciona mal", diz ele.Em um experimento, pediu-se a estudantes que decorassem palavras, e em seguida eles foram hipnotizados para esquecê-las. Em seguida, os voluntários viram as palavras de novo. Cerca de metade do grupo descreveu uma sensação de déjà vu.

Agencia Estado,

28 de novembro de 2006 | 17h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.