Estudo mostra dados sobre a distração ao volante

A distração, nas estradas australianas, é a responsável por um em cada cinco acidentes. Estudo publicado no periódico Injury Prevention, que analisou o comportamento de 1.300 mil motoristas com idades entre 18 e 65 anos, mostra que a cada seis minutos, em média, pelo menos um deles se distraiu na direção. A pesquisa feita pelo Instituto George para Saúde Internacional e pela Universidade do Leste da Austrália conseguiu identificar quais são as causas dos acidentes motivados por distrações. Em primeiro lugar da lista apareceu a falta de concentração com 72% de indicação. Durante uma viagem rodoviária, segundo a pesquisa, 69% dos condutores também admitiram que se distraíram ao volante porque estavam ajustando algum equipamento dentro do veículo. A ocorrência de eventos externos foi confirmada como um problema por 58% dos motoristas. Além disso, 40% das respostas também tornou evidente que, com freqüência, as distrações ocorrem quando existe uma conversa entre o motorista e algum dos passageiros do veículo. Para Suzanne McEvoy, pesquisadora que chefiou o trabalho, o fato de ocorrer uma distração ao volante é bastante comum, mas o que surpreendeu foi a constatação da alta taxa de acidentes que ocorrem depois. O fato é ainda mais grave, segundo os dados agora divulgados, entre os motoristas com 18 e 30 anos de idade. Além de esse grupo minimizar mais as conseqüências de uma distração qualquer, eles costumam demorar mais para retomar a atenção. Segundo os cientistas, os dados obtidos são muito importantes para as autoridades de trânsito. A partir disso, afirmam os autores do artigo, podem ser imaginadas campanhas educativas bastante focadas, com o intuito de diminuir os acidentes fatais causados pelas distrações ao volante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.