Estudo mostra que 3 em 4 idosos na França sofrem de solidão

Três em cada quatro idosos na Françarevelam sofrer de solidão, e 18% deles passam dias inteiros semfalar com ninguém, segundo uma pesquisa publicada nesta quinta-feira. A pesquisa foi feita com 5 mil pessoas com mais de 60 anos, naFrança, entre novembro de 2005 e março, pelo grupo "Combater aSolidão", que reúne associações humanitárias e que foi criado após aonda de calor do verão de 2003, quando mais de 15 mil pessoasmorreram, entre eles vários idosos. A solidão é maior entre os idosos com idade entre 79 a 83 anos,quando a vitalidade física diminui notavelmente e, com freqüência,um dos parceiros morre. Neste período, os homens ficam mais introspectivos, enquanto asmulheres se relacionam com mais facilidade. Os autores do estudo destacam que a falta de bancos nas ruas dascidades francesas, e de elevador em alguns imóveis, pioram oisolamento. "Às vezes gosto que haja problemas no edifício, porque (osvizinhos) são obrigados a falar conosco", afirma um dosentrevistados. A pesquisa também revelou que "os homens têm um entorno maisnumeroso até uma idade avançada em comparação às mulheres", ressaltaFrance Suetre-Rollin, do Socorro Católico, uma das organizações queintegram o grupo. Mais da metade das pessoas que não têm família sofre de solidão,enquanto entre os que vivem em família numerosa, apenas um terço sesente só. Para combater a solidão entre idosos, o grupo propõe promover ointercâmbio entre gerações, aumentar as relações entre a vizinhança,continuar a aprendizagem e reforçar os laços do passado. Um dosautores do estudo aponta o "esquecimento de sua própria história"revelado pelos entrevistados. A França tem atualmente 12,9 milhões de pessoas com mais de 60anos, que representam um quinto da população do país, porcentagemque deve aumentar para 31% em 2050.

Agencia Estado,

28 de setembro de 2006 | 15h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.