Estudo relaciona saúde pré-natal a sucesso econômico

Pesquisadores já deram muita atenção à correlação de características hereditárias, como cor da pele e altura, e o sucesso econômico, mas um novo estudo publicado no Journal of Political Economy argumenta que uma característica manipulável - a saúde dentro do útero - que indica, com mais pertinência, a probabilidade de sucesso da criança na vida adulta."A distinção fundamental, para fins de políticas públicas, é que a hereditariedade é imutável, mas as características congênitas são mediadas pelo ambiente pré-natal. Isso sugere que os resultados econômicos são maleáveis de um modo que não era reconhecido, e podem ser melhorados", diz o pesquisador Douglas Almond, da Universidade Columbia.Almond utiliza dados do censo ao longo três décadas - incluindo não apenas ano, mas trimestre de nascimento - para analisar o sucesso econômico das pessoas que foram expostas, ainda no útero, aos efeitos da gripe espanhola de 1918. A epidemia durou poucos meses, o que significa que pessoas nascidas com meses de diferença enfrentaram condições uterinas diferentes. Além disso, a epidemia atingiu indistintamente todas as classes sociais.Almond descobriu que os filhos de mães infectadas pela gripe tinham 15% menos chance de se formar no ensino médio, e filhos de mães infectadas atingiram uma renda anual US$ 2.500 inferior aos que não tiveram exposição à doença antes de nascer.

Agencia Estado,

07 de agosto de 2006 | 17h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.