Estudo vê 'compulsão' em 60% de jovens com smartphone

Cerca de 60% dos jovens nascidos entre 1980 e 2000 checam compulsivamente as atualizações de conteúdo em seus smartphones, aponta pesquisa sobre o hábito de jovens com relação ao uso desses aparelhos desenvolvida pela Cisco.

GUILHERME WALTENBERG, Agência Estado

13 Dezembro 2012 | 20h14

O volume de acesso, diz a pesquisa, é em parte ocasionado pelo elevado número de entrevistados que possuem conta na rede social Facebook: 87% deles dizem ser usuários da rede. Do total de entrevistados, inclusive, perto de dois terços afirmaram se relacionar mais com familiares e amigos pelas redes sociais do que pessoalmente. No Brasil, o número é ainda maior: 73%.

De acordo com o gerente de desenvolvimento de negócios de Borderless Networks da Cisco Brasil, Ghassan Dreibi, o brasileiro tem um perfil pioneiro no uso desses serviços. "O Brasil sempre foi pioneiro no uso dessas tecnologias para uso pessoal, é um País em desenvolvimento, muito grande, onde as pessoas não têm muito tempo, por isso usam tanto as redes", explicou. Ele afirma que essa geração incorporou as inovações tecnológicas à sua rotina. "Esse ritual (de checar sua vida online constantemente) vai acontecer todos os dias, dentro de uma rotina de comportamento que inclui sua higiene pessoal, refeições, etc", explicou.

A pesquisa mostra também que nove a cada dez jovens no conjunto de países pesquisados conferem emails, acessam mídias sociais e leem textos no smartphone antes mesmo de saírem da cama ao acordar. No Brasil, no entanto, o número é menor, apenas 48% dos usuários de smartphones do País acessam o aparelho antes de sair da cama. Durante as refeições, 46% sinalizaram fazer esse mesmo uso do smartphone.

De acordo com a Cisco, foram entrevistadas 3.600 pessoas, de 18 a 30 anos, entre trabalhadores e estudantes universitários de 18 países.

Mais conteúdo sobre:
jovens smartphones pesquisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.