Estudos vêem efeitos da maconha contra a dor e nos pulmões

Fumar maconha reduz as dores crônicas ligada ao vírus HIV, incluindo as sensações de queimação e formigamento doloroso, de acordo com estudo publicado na edição desta terça-feira, 13, da revista especializada Neurology. Para o estudo, 50 pessoas com neuropatia sensorial associada ao HIV, o distúrbio nervoso mais comumente ligado ao vírus da aids, receberam cigarros de maconha ou de placebo para fumar três vezes ao dia, durante cinco dias.O resultado indica que os fumantes de maconha tiveram uma redução de 34% na dor, em comparação com 17% dos que usaram o placebo. Já outro trabalho, publicado nesta segunda-feira, 12, no periódico Archives of Internal Medicine, revela que o uso prolongado de maconha traz muitos dos mesmos problemas respiratórios associados ao tabaco, como tosse, catarro e chiado. Os responsáveis por esse estudo analisaram artigos científicos sobre maconha e problemas respiratórios publicados entre 1966 e 2005. Todos os 14 trabalhos classificados para a revisão - outros 12 foram descartados por tratar apenas dos efeitos da droga no curto prazo - registraram uma associação entre o uso de maconha e dificuldades respiratórias, sugerindo algum tipo de obstrução pulmonar.

Agencia Estado,

12 de fevereiro de 2007 | 19h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.