EUA admitem violação de espaço aéreo da Venezuela

Pentágono afirma que avião entrou 'involuntariamente' em território venezuelano.

Claudia Jardim, BBC

19 de maio de 2008 | 23h00

O Pentágono admitiu na noite desta segunda-feira que um avião norte-americano invadiu o espaço aéreo da Venezuela no sábado, mas afirmou que a aeronave teria perdido as coordenadas e "involuntariamente" ingressado em território venezuelano. "Um aparelho S-3 Viking norte-americano que cumpria operações antidrogas perdeu suas referências de navegação, o que o levou a voar dentro do espaço aéreo da Venezuela", diz o comunicado americano. Mais cedo, o governo da Venezuela havia denunciado a invasão e afirmado que se tratava de um "ato de provocação". De acordo com o comunicado, o controle aéreo venezuelano teria colaborado para que o avião dos EUA deixasse seu espaço aéreo. "O apoio do controle aéreo venezuelano, que ofereceu assistência ao guiar o avião norte-americano para o espaço aéreo internacional, foi bastante apreciado", diz o texto. Apesar de reconhecer que a operação foi involuntária, o Pentágono afirma que o incidente será investigado. A Força Aérea dos EUA mantém em Curaçao (ilha caribenha que faz parte das Antilhas Holandesas, localizada ao norte da Venezuela) uma base militar que é utilizada por Washington em sua missão antidrogas na região. ExplicaçõesNesta terça-feira, o embaixador dos EUA na Venezuela, Patrick Dudy, deverá se reunir com o ministro de Relações Exteriores, Nicolas Maduro, para dar explicações sobre o incidente. A violação do espaço aéreo ocorreu no mesmo dia em que 60 militares colombianos teriam sido flagrados sem autorização dentro do território venezuelano. Para o governo de Caracas, que afirma que os EUA pretendem provocar um conflito armado entre Colômbia e Venezuela, as ações não foram "coincidências". O governo da Colômbia nega as acusações. O ministro de Defesa, Juan Manuel Santos, disse em Bogotá que foi feita uma investigação interna e a conclusão foi de que nenhuma tropa colombiana teria cruzado a fronteira.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.