EUA prendem quatro por espionagem

Em dois casos separados informações seriam passadas para a China.

Da BBC Brasil, BBC

12 de fevereiro de 2008 | 03h05

Quatro pessoas foram presas nos Estados Unidos sob acusação de espionagem para o governo da China.As quatro prisões ocorreram no mesmo dia mas se referem a dois casos diferentes, segundo o correspondente da BBC em Washington Vincent Dowd.O primeiro caso se refere a um ex-engenheiro da Boeing de 72 anos, Dongfan Chung, detido na Califórnia e acusado de espionar para o governo chinês desde o final da década de 70.Chung nasceu na China, mas é cidadão americano e trabalhou na Boeing até 2006. Ele teria passado informações sobre detalhes de projetos como o de ônibus espaciais da Nasa, do avião militar de transporte C-17 e do foguete Delta 4.Se for considerado culpado, Chung poderá ser condenado a 100 anos de prisão.No outro caso de espionagem, dois homens e uma mulher são acusados de entregar para a China documentos do Departamento de Defesa dos Estados Unidos a respeito de Taiwan.'Espionagem clássica'O segundo caso é descrito pelo subsecretário de Justiça americano Kenneth Wainstein como uma "operação clássica de espionagem".Um dos detidos é Gregg William Bergersen, um analista que trabalhava para uma agência do Departamento de Defesa americano. Ele foi acusado de receber dinheiro em troca de segredos do departamento, principalmente os relativos às vendas de equipamentos militares americanos a Taiwan.Também foi preso Tai Shen Kuo, que tem passaportes de Taiwan e dos Estados Unidos. Ele teria conseguido as informações com Bergersen.A terceira pessoa presa é Yu Xin Kang, cidadã chinesa que vive nos Estados Unidos e teria transmitido as informações de Kuo para autoridades na China, segundo promotores."A ameaça é muito simples. É uma ameaça à nossa segurança nacional e à nossa posição econômica no mundo, uma ameaça colocada pelos incessantes esforços de serviços secretos de outros países para penetrar em nosso sistema de segurança e roubar nossa tecnologia militar e informações", afirmou Kenneth Wainstein.Segundo o correspondente da BBC em Washington Vincent Dowd, os Estados Unidos não querem ter problemas diplomáticos com a China, principalmente devido à proximidade das Olimpíadas de Pequim.Mas, no segundo semestre de 2007 a diretoria da Agência Nacional de Inteligência americana afirmou que as atividades de espionagem da China nos Estados Unidos estão se aproximando dos níveis observados durante a Guerra Fria.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.