EUA querem proibir pomada para clarear a pele

A Administração de Remédios e Alimentos (FDA) dos Estados Unidos propôs a proibição da venda de produtos para clarear a pele, dizendo que os riscos para a saúde não justificam a venda sem receita. Os cremes tipicamente contêm uma droga chamada hidroquinona, um possível cancerígeno, também ligado a uma doença que desfigura a pele, informa a agência, afirmando que os produtos só devem ser usados com receita e sob supervisão médica.Estudos realizados em ratos mostram "alguma evidência" de que a hidroquinona pode causar câncer. Além disso, a ligação da droga à condição chamada ocronose está documentada desde 1975 em mulheres e homens negros da áfrica do sul, Reino Unido e EUA. A doença é marcada por um escurecimento e engrossamento da pele, da formação de pequenas protuberâncias e de manchas cinzentas, de acordo com a FDA. Sob a nova norma proposta, todos os produtos de despigmentação da pele - sejam de venda liberada ou só sob receita médica - passariam a ser considerados drogas novas, e teriam de buscar aprovação antes de voltar ao mercado.

Agencia Estado,

29 de agosto de 2006 | 17h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.