EUA rejeitam pedido russo para 'congelar' plano antimísseis

Conversações terminam sem progresso; Rússia vê projeto como 'ameaça potencial'.

BBC Brasil, BBC

13 de outubro de 2007 | 03h15

Os Estados Unidos rejeitaram apelos da Rússia para suspender a construção de um sistema de defesa antimísseis no Leste Europeu, em conversações em Moscou.A reunião, nesta sexta-feria, liderada pela secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, e pelo ministro do Exterior da Rússia, Sergei Lavrov, terminou em clima tenso, e sem sinal de progresso.Lavrov afirmou que seu país vai tomar medidas para neutralizar a ameaça representada pelo sistema antimísseis se o projeto for levado adiante.Segundo ele, o escudo de defesa é baseado em uma premissa falsa de que existe uma ameaça nuclear representada pelo Irã.O secretário da Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, afirmou que ele e Rice apresentaram várias idéias novas para os russos, mas indicaram que elas ainda não foram aceitas."Nossas conversações refletem a relação complexa, multifacetada que Estados Unidos e Rússia mantém", disse ele."Nós continuamos ansiosos para ser parceiros abertos e plenos da Rússia" no sistema de defesa antimísseis, afirmou Gates."Nós discutimos uma gama de propostas que esperamos que eles aceitem."Rice afirmou que conversações com Polônia e República Tcheca sobre o envio de equipamento do sistema no território dos dois países vão continuar."Nós vamos trabalhar durante este período para acalmar as preocupações russas", disse a secretária de Estado.Os Estados Unidos afirmam que necessitam de um sistema de defesa antimísseis para conter a ameaça de países como o Irã e a Coréia do Norte.As autoridades russas perguntaram aos Estados Unidos por que não usar um sistema de radar operado pela Rússia no Azerbaijão ao invés de instalações no Leste Europeu.Gates afirmou que o radar pode ser usado, mas não está capacitado para guiar mísseis de interceptação. Mas o ministro do Exterior da Rússia pediu que os Estados Unidos "congelem" os planos para construir o sistema de defesa antimísseis no Leste Europeu, afirmando que o país vê o sistema americano como uma "ameaça potencial".Rice negou qualquer ameaça à Rússia e acrescentou que os dois países podem trabalhar juntos.A secretária de Estado americana também se reuniu com o presidente russo Vladimir Putin, que deu sinais de que não vai apoiar os planos americanos.Putin afirmou que espera que Washington "não apresse os acordos anteriores com países da Europa Oriental" e ameaçou abandonar um importante tratado de não-proliferação de armas nucleares, que ele diz estar desatualizado.No início das reuniões, Putin disse que seria difícil continuar participando do tratado Forças Nucleares Intermediárias (INF, na sigla em inglês) a não ser que o acordo inclua mais países além dos Estados Unidos e da Rússia.Segundo o presidente russo, outros países estão desenvolvendo esses sistemas de armas, incluindo os que são próximos à fronteira da Rússia.Analistas afirmam que a ameaça de Putin é outra manobra diplomática para pressionar os Estados Unidos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.