Euforia com plano nos EUA diminui e Bovespa recua 2,27%

A moderação substituiu a euforia dos investidores com o plano dos Estados Unidos para sanear bancos, fazendo a Bovespa devolver nesta terça-feira parte dos vistosos ganhos da véspera.

ALUÍSIO ALVES, REUTERS

24 de março de 2009 | 17h59

Sob a batuta da realização de lucros, o Ibovespa cedeu 2,27 por cento, aos 41.475 pontos. O giro financeiro da sessão somou 4,14 bilhões de reais.

"O pessoal preferiu realizar um pouco, já que o mercado veio de altas muito fortes", disse Ricardo Tadeu Martins, gerente de pesquisa da Planner.

Foi a mesma lógica que levou os principais índices de Wall Street a cair entre 1,5 e 2,5 por cento, depois de terem subido cerca de 7 por cento na véspera, quando o secretário do Tesouro dos Estados Unidos detalhou o plano para sanear bancos do país contaminados com ativos podres.

No plano doméstico, Perdigão foi a líder de perdas do Ibovespa, desabando 6,8 por cento, a 30,20 reais, após a companhia ter informado na segunda-feira à noite que fechou o quarto trimestre de 2008 com prejuízo de 20 milhões de reais devido ao impacto cambial na despesa financeira.

Vale também foi atingida, caindo 3,4 por cento, para 27,43 reais, no dia em que sua concorrente Rio Tinto informou que os preços do minério de ferro vão cair em 2009 pela primeira vez em sete anos, embora menos do que os 50 por cento projetados por algumas siderúrgicas.

Além disso, o preço-alvo das ações da mineradora brasileira foi cortado nesta terça-feira pelo banco Credit Suisse.

Os bancos também foram destaques negativos, no dia em que a Febraban, entidade do setor, previu aumento da inadimplência e crescimento menor das operações de crédito em 2009.

Itaú perdeu 3,6 por cento, para 25,79 reais. Banco do Brasil cedeu 2,7 por cento, a 15,98 reais.

Na outra ponta, TIM Participações avançou 5 por cento, para 6,50 reais, um dia depois de a área técnica da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ter mantido a decisão que obriga a Telco a realizar uma oferta pública de recompra para os minoritários da TIM no Brasil.

Redecard, cujo preço da oferta pública secundária de venda das ações pertencentes ao Citigroup deve sair ainda terça-feira, subiu 1,4 por cento, para 25,05 reais.

Sadia foi a melhor do índice, disparando 5,8 por cento, a 3,08 reais, em meio ao vaievém de rumores envolvendo a venda do controle da companhia.

Tudo o que sabemos sobre:
BOVESPAFECHAFINAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.