Europa aprova carta de obrigações contra a obesidade

Ministros de Saúde de 53 países europeus aprovaram a primeira carta para o combate à obesidade do mundo, prometendo mais ação contra a epidemia que se espalha pelo continente. A carta, aprovada em Istambul, na Turquia, foi elaborada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em consulta com os Estados-membros europeus. Esta é a primeira tentativa real de obrigar autoridades nacionais a agir no combate á obesidade. "Muitos governos têm boas recomendações e belas linhas gerais, mas em termos de metas nutricionais, a maioria dos países não as atingiu", disse o conselheiro europeu da OMS para nutrição e segurança alimentar, Francesco Branca.A carta compromete os governos com atitudes como melhorar a disponibilidade de alimentos saudáveis, e a adoção de regulamentação para tornar as estradas mais seguras para pedestres e ciclistas.A presença da obesidade na Europa triplicou nos últimos 20 anos; metade dos adultos e 20% das crianças estão acima do peso. Estar acima do peso ou ser obeso aumenta o risco de doenças como diabete e câncer, e reduz a expectativa de vida. A obesidade também é responsável por até 6% de todos os tratamentos de saúde realizados na Europa.A carta da OMS tem por meta deter a epidemia dentro de cinco anos, e reverter a tendência até 2015.Branca admite, porém, que implementar políticas em escala continental, para enfrentar questões tão diversas como padrões nacionais de dieta e regras de planejamento urbano, vai ser demorado.Um dos pontos mais controversos da carta é a obrigação de o setor privado limitar a publicidade de alimentos gordurosos ou açucarados, voltada para o público infantil. A norma subentende a criação de leis nacionais limitando a propaganda, e talvez uma regulação internacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.