Ex-baleeiro japonês conta irregularidades feitas em navio

   

, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2010 | 00h00

Caça. Baleeiros cortam uma baleia fin na costa da Islândia

 

 

 

Um ex-caçador de baleias japonês na Antártida mudou de lado e resolveu revelar verdades sobre a indústria clandestina de venda de carne de baleias no Japão, aderindo a uma campanha do Greenpeace. As informações são do jornal The Guardian.

O ex-baleeiro conta que os tripulantes do navio baleeiro Nisshin Maru estão na verdade apreendendo e vendendo os cortes da carne valorizada para ganhar dinheiro extra. A caça comercial está proibida no mundo há 24 anos, mas o Japão tem uma cota da chamada caça científica - em que matam o animal supostamente para fazer pesquisa.

"Mesmo antes de chegarmos no Oceano Antártico os caçadores mais experientes falavam de levar carne de baleia para casa para vender. Era um segredo aberto", conta.

O homem, que trabalhou a bordo do navio, viu os membros da tripulação se ajudando a conseguir cortes de carne nobre de baleia e embalando-a em caixas que eles marcavam com rabiscos ou pseudônimos para que pudessem ser identificadas quando o navio chegasse ao porto. "Eles nunca escreviam seus nomes nas caixas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.