Ex-executivo de banco suíço passará fim de semana detido

A promotoria pública suíça anunciou na sexta-feira que o ex-executivo de banco Rudolf Elmer passará o fim de semana preso, depois de ser interrogado pela polícia durante a semana sobre possíveis novas infrações das leis bancárias do país.

REUTERS

21 de janeiro de 2011 | 18h02

Elmer foi detido pela polícia na quarta-feira, depois de ter entregado discos de computador ao WikiLeaks no início da semana, indicando que continham dados sobre até 2.000 contas bancárias em paraísos fiscais.

Em um caso separado, Elmer foi condenado na quarta-feira por infringir o sigilo bancário, por ter repassado dados particulares de clientes às autoridades tributárias e ter ameaçado funcionários do banco para o qual trabalhou, o Julius Baer. O ex-executivo recorreu do veredicto.

Um juiz vai anunciar na segunda-feira se Elmer será mantido em custódia por mais tempo, disse o comunicado da promotoria.

O sigilo bancário suíço ajudou o país a erguer um setor de administração de recursos que movimenta 2 trilhões de dólares, mas as leis bancárias vêm sendo atacadas internacionalmente nos últimos anos. A Alemanha comprou dados secretos de informantes para rastrear e prender sonegadores de impostos.

Tudo o que sabemos sobre:
SUICABANQUEIROWIKILEAKS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.