Ex-gerente da CEF é condenada por desvio em AL

A ex-gerente da Caixa Econômica Federal (CEF) Andréa Lopes de Oliveira, denunciada à Justiça pelo Ministério Público Federal (MPF) de Alagoas, foi condenada a 4 anos e 5 meses de prisão por crimes de peculato e corrupção passiva. Andréa foi considerada culpada pelo desvio de mais de R$ 100 mil do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Segundo denúncia feita pelo procurador da República Marcelo Toledo Silva, quando ocupava a função de gerente do posto de atendimento bancário (PAB) da CEF no Departamento Estadual de Trânsito (Detran), entre novembro de 2001 e janeiro de 2002, Andréa modificou dados das contas vinculadas do FGTS de terceiros, transferindo os respectivos saldos para a própria conta corrente, usando o número do Programa de Integração Social (PIS).A fraude teria sido repetida em pelo menos 47 contas de trabalhadores, cujo acesso era possível pela senha pessoal dela. O roubo foi descoberto quando a Gerência do Setor de FGTS no Recife constatou coincidências de saques do fundo para o mesmo número de PIS. Para Silva, Andréa, "consciente e voluntariamente, subtraiu dinheiro particular, em proveito próprio, valendo-se de facilidade que lhe proporcionava a qualidade de funcionária pública no exercício da gerência do banco".Na sentença, a juíza da 3ª Vara Federal, Cíntia Menezes Brunetta, lembrou que a ré confessou ter retirado os valores da conta do FGTS, embora tenha dito que não sacou todo o dinheiro transferido. "Não há como negar a conduta perpetrada pela ré", afirmou Cíntia, lembrando que, no extrato de uma conta corrente aberta em nome de Andréa, constam inúmeros créditos referentes a FGTS, até mesmo vários no mesmo dia.

RICARDO RODRIGUES, ESPECIAL PARA AE, Agencia Estado

31 de janeiro de 2008 | 10h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.