Ex-ídolo do vôlei, Bernard conversa com leitores da BBC Brasil

Ex-jogador e chefe da delegação brasileira nos Jogos de Londres 2012 bate-papo pelo Facebook na quarta-feira, dia 9.

BBC Brasil, BBC

07 Maio 2012 | 17h03

Medalha de prata na Olimpíada de Los Angeles, em 1984, e criador do famoso saque "Jornada nas Estrelas", o ex-jogador de vôlei Bernard Rajzman participará de um chat via Facebook com os leitores da BBC Brasil na quarta-feira, dia 9 de maio, a partir das 11h (horário de Brasília).

Bernard trabalha atualmente no Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e será o chefe da delegação brasileira nos Jogos Olímpicos deste ano, em Londres.

Participe do bate-papo pela página da .

Bernard foi um dos principais nomes da chamada "seleção de prata" do vôlei brasileiro, que marcou a ascensão do esporte no país com o vice-campeonato mundial em 1982, o ouro nos Jogos Panamericanos de 1983 e o segundo lugar em Los Angeles, em 1984.

A popularidade dos saques "Jornada nas Estrelas", nos quais a bola era lançada a uma altura elevada e chegava à quadra adversária com uma velocidade que podia chegar a 70 quilômetros por hora, ajudou a popularizar também o vôlei no Brasil a partir do início da década de 1980.

Leia mais:

Além dos Jogos de 1984, Bernard disputou ainda as Olimpíadas de Montreal, em 1976, e de Moscou, em 1980.

Após deixar as quadras, o ex-jogador foi secretário nacional de Esportes no governo Collor, deputado estadual no Rio de Janeiro por dois mandatos e presidente do Conselho Nacional de Esportes.

Em 2005, entrou para o Hall da Fama do vôlei mundial em Massachusetts, nos Estados Unidos.

Antes de assumir a chefia da delegação brasileira em Londres, Bernard atuou como chefe da missão brasileira nos Jogos Panamericanos de Guadalajara, em 2011, e foi subchefe das missões nos Jogos Panamericanos do Rio, em 2007, na Olimpíada de Pequim, em 2008, e nos Jogos de Inverno em Vancouver, em 2010. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.