Ex-mulher de Berlusconi quer 3,5 milhões por mês

Veronica Lario, ex-mulher do primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, pediu uma pensão de 3,5 milhões mensais por seu divórcio, segundo publicou ontem o jornal Corriere della Sera - serão 42 milhões por ano. Veronica não aceitou uma separação amigável e o pedido de divórcio litigioso foi apresentado no mês passado.

EFE, ROMA, O Estadao de S.Paulo

27 de novembro de 2009 | 00h00

Miriam Raffaella Bartolini, nome artístico da ex-atriz Veronica Lario, rejeitou a oferta de uma pensão de 200 mil por mês feita por Berlusconi. Segundo fontes ouvidas pelo Corriere della Sera, Berlusconi já depositou entre 60 milhões e 70 milhões nas contas da ex-mulher para sustentar os três filhos do casal.

Além disso, nas primeiras tentativas de acordo, o primeiro-ministro, o segundo homem mais rico da Itália, afirmou que estava disposto a deixar sua ex-mulher na mansão Belvedere, nos arredores de Milão, onde ela vive com os três filhos de seu casamento.

Veronica anunciou o divórcio em 28 de abril, após saber que o marido havia ido à localidade de Casoria para o aniversário de 18 anos de Noemi Letizia, filha de um amigo. A indignação aumentou com as notícias das noitadas de Berlusconi com prostitutas de luxo em sua residência romana.

Tudo isso, de acordo com o Corriere della Sera, fez com que Veronica acabasse com os 19 anos de casamento com o premiê. A imprensa italiana estima que o divórcio termine como o mais caro da história do país, sobretudo porque estão envolvidos cerca de 9 bilhões em patrimônio.

Veronica disse que gostaria que seus três filhos com o premiê - Eleonora, Luigi e Barbara - tenham o mesmo tratamento que os outros dois - Marina e Pier Silvio - do primeiro casamento de Berlusconi, com Carla dall"Oglio. Os cinco herdeiros são donos de 7,5% do grupo da família, a Fininvest, mas Marina preside a editora Mondadori e Pier Silvio é vice-presidente da Mediaset.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.