Ex-mulher de Cachoeira nega envolvimento em suposto esquema

A ex-mulher de Carlinhos Cachoeira, Andréa Aprígio e Souza, negou nesta quarta-feira em depoimento à CPI que investiga as relações do suposto contraventor com políticos e empresários que tenha ligações com um alegado esquema criminoso atribuído ao grupo e afirmou que suas empresas estão em situação legal.

Reuters

08 de agosto de 2012 | 12h53

Mesmo apoiada em um habeas corpus que lhe garantia o direito de permanecer em silêncio, Andréa optou por fazer uma exposição inicial, mas não respondeu perguntas.

"Cada um deve responder na medida dos seus atos", disse ela, segundo relato da Agência Câmara.

Andréa fez a afirmação ao dizer que tinha vida profissional distinta à do ex-marido no período em que foi casada com Cachoeira.

"O patrimônio que está em meu nome é fruto de uma partilha de bens, fruto de uma separação consensual, feita em juízo. É também fruto do meu trabalho. Sou engenheira civil e advogada. Sou capaz de comportar o crescimento do meu patrimônio", afirmou.

Ela disse que suas empresas estão em situação legal e que não está sendo investigada pela Polícia Federal, mas pela imprensa.

"Com o devido respeito,(os jornalistas) devem investigar melhor os fatos", disse.

Andréa é sócia em três empresas --uma construtora, um laboratório farmacêutico e uma fundação cultural.

(Por Ana Flor)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICACPMICACHOEIRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.