Ex-PM acusado de matar menino terá novo julgamento

O ex-policial militar absolvido do crime de matar o menino João Roberto Amorim Soares, no Rio de Janeiro, vai ser julgado novamente. A 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio acatou hoje o recurso do Ministério Público que pedia um novo julgamento do acusado. A defesa do policial ainda pode recorrer da decisão, segundo o TJ. O menino João Roberto, de 4 anos, foi morto após ser atingido na nuca por disparos feitos por policiais. O carro em que ele estava com a mãe e o irmão mais novo foi alvejado, em 6 de julho de 2008, na Tijuca, zona oeste do Rio. Os policiais militares disseram que confundiram o veículo com outro que estava sendo perseguido.

ÍTALO REIS, Agencia Estado

28 Julho 2009 | 18h52

No processo, o MP alega que a decisão dos jurados do 2º Tribunal do Júri da Capital de absolver William de Paula é contrária às provas que constam nos autos de acusação. Dessa maneira, o relator do caso, o desembargador Alexandre Varella, e o desembargador Siro Darlan, foram a favor do provimento ao recurso, vencendo o voto do desembargador Maurílio Passos Braga, que foi contrário. Segundo o Tribunal de Justiça, o novo julgamento ainda não foi marcado e também não há previsão de quando ocorrerá.

William de Paula foi absolvido porque os jurados entenderam que o ex-PM não tinha a intenção de matar a criança. Como os jurados só decidem a respeito de crimes contra a vida, o juiz Paulo Lanzellotti condenou o PM a dois anos de prisão pelo crime de lesão corporal sofrido pela mãe do menino, Alessandra Soares. O outro PM envolvido na morte do garoto, o soldado Elias Gonçalves Costa Neto, que ainda aguarda julgamento, também foi expulso da corporação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.