Excesso de Nintendo Wii na meia idade preocupa osteopatas

Jogos que reconhecem movimentos do usuário podem lesionar pessoas que abusam do brinquedo

28 de janeiro de 2008 | 10h55

O videogame Nintendo Wii está na mira de alguns osteopatas ingleses após diversos casos de usuários de meia idade que passaram a sofrer de dores musculares após longas horas consecutivas de Wii Sports, segundo divulgou a agência Magnet. Anotícia, que mais parece piada, foi veiculada originalmente no site Telegraph, que cita que especialistas teriam, inclusive, cunhado um novo termo para definir a "doença", apelidada de "Síndrome do Nintendo Wii". O problema está no fato do aparelho reconhecerer os movimentos em jogos como tênis, golfe, boliche e boxe, recurso que teria sido culpado por milhares de pequenos acidentes e dores em pacientes que adotaram o videogame como forma de se exercitar. Para alguns osteopatas, médicos que tratam da mobilidade articular e tecidual, pessoas de meia idade correm risco de lesões no pescoço, ombros e cotovelos após longas partidas. Martin Davies, responsável por cinco clínicas osteopáticas em Cheshire, explicou que, após o Natal, aumentou o número de pacientes com problemas por causa do videogame. "Percebemos que estávamos recebendo um alto número de pais de meia idade vindos por passarem muito tempo jogando o Wii que compraram para seus filhos", explicou Davies, acrescentando que alguns disseram, inclusive, terem jogado por até 10 horas. Os maiores causadores das dores e lesões seriam os jogos de tênis e boxe, ambos inclusos no pacote Wii Sports que acompanha o videogame. A recomendação de Davies é que os jogadores sigam corretamente as instruções de jogo e limitem o tempo contínuo de uso do aparelho. Irônico, o site CVG discordou do diagnóstico, alegando que nenhum ser humano poderia jogar Wii Sports por duas horas sem morrer de tédio. Outros jogadores acham que o videogame não deve ser culpado quando o problema é que seus usuários estão fora de forma. Verdadeira ou não, a síndrome do Wii não destrói um dos aspectos positivos do console, que abriu o mercado de videogames para um novo público e modificou a imagem de sedentarismo intrínseco usualmente associada aos videogames, provando que é possível se exercitar com ajuda de jogos de computador. Explorando esta frente, a Nintendo criou o Wii Fit, um acessório para o console que vem acompanhado de diversos softwares de exercícios e equilíbrio. No Japão, mais de um milhão de cópias já foram vendidas. Nos EUA, o aparelho deve chegar ainda este ano, conforme noticiou o site TG Daily.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.