Executiva é morta pelo marido em São Paulo

A advogada Tatiana Castro Pinho, de 36 anos, executiva do Grupo Abril, foi morta na madrugada desta quinta-feira, 24, com um tiro na cabeça na cama do quarto de sua casa, no Ipiranga, zona sul de São Paulo. O suspeito, segundo a polícia, é seu marido, o autônomo Eduardo Marques Marchese, de 38 anos, que teria atirado na mulher e disparado contra a própria cabeça.

LUCIANO BOTTINI FILHO, Agência Estado

25 Outubro 2013 | 20h41

A PM atendeu o chamado na Rua Alberto Nepomuceno às 3h30. Os policiais encontraram a vítima deitada na cama, ao lado de Marchese, que se debatia, com um revólver.38 na mão. A equipe da ambulância constatou a morte de Tatiana no local. Já o marido foi levado para o Hospital de Heliópolis e está internado em estado grave. Segundo a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, ele teve morte cerebral.

De acordo com informações preliminares, o casal estava em crise conjugal e ela terminaria o relacionamento naquela noite. O filho do casal, de 2 anos, foi encontrado sentado em uma cadeira da sala, ileso, pela mãe da vítima. O caso foi registrado como homicídio e tentativa de suicídio no 16º DP (Vila Clementino).

Mais conteúdo sobre:
Violência SP executiva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.