Exército do Paquistão afirma que matou 40 terroristas

Tropas paquistanesas apoiadas por jatos e helicópteros mataram pelo menos 40 militantes na instável zona tribal fronteiriça ao Afeganistão nos últimos três dias, informou um comandante militar hoje.

AE, Agência Estado

30 Junho 2011 | 09h19

O brigadeiro Aftab Ahmad disse por telefone que suas forças destruíram 17 esconderijos dos militantes na região de Baizai, que está sob seu comando na instável zona tribal de Mohmand. "Militantes estão regularmente atacando nossos postos na fronteira com o Afeganistão em Shonkari e Mithai e também atacam veículos com produtos que vão para o Afeganistão", disse.

Ghalanai é a principal cidade de Mohmand, onde o Paquistão recentemente aumentou os ataques a esconderijos de militantes, enquanto enfrenta a pressão dos Estados Unidos para realizar uma ofensiva específica contra a rede Haqqani, ligada à Al-Qaeda, no Waziristão do Norte.

"Uma operação foi lançada há três dias, com o apoio de aeronaves do Exército, helicópteros e jatos de combate. Nós matamos pelo menos 40 militantes", afirmou Ahmad. Um funcionário do governo em Baizai, Maqsood Hussain, confirmou os ataques e as mortes, porém não soube explicar como as autoridades chegaram ao número de 40 baixas entre os rebeldes.

Mohmand é um dos sete distritos no cinturão tribal autônomo do Paquistão, onde o Taleban e a Al-Qaeda mantêm esconderijos e planejam ataques contra alvos do Paquistão, do Afeganistão e ocidentais. Washington qualifica o cinturão tribal como a área mais perigosa do mundo e o quartel-general da Al-Qaeda. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.