Exército vai trocar de tropa em comunidade do Rio

Militares da 9ª Brigada de Infantaria Motorizada substituirão, no próximo domingo, a tropa de paraquedistas do Exército responsável pelo patrulhamento dos complexos da Penha e do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro. A mudança na composição da Força de Pacificação, que atua nas favelas da área desde 23 de dezembro de 2010, faz parte de um planejamento estratégico para evitar a sobrecarga dos 1.700 homens que fazem parte do grupo atual.

BRUNO BOGHOSSIAN, Agência Estado

18 de fevereiro de 2011 | 19h34

Durante as oito semanas de ocupação pelo Exército, um militar morreu, vítima de um tiro acidental disparado por um colega. Além disso, três homens que patrulhavam a região foram denunciados pelo furto de um aparelho de ar-condicionado em uma das casas da favela da Fazendinha. Eles foram afastados da tropa e responderão a um inquérito.

O comando da tropa foi substituído hoje, em cerimônia com a presença do governador Sérgio Cabral, do secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, e do Comandante Militar do Leste, Adriano Pereira Júnior. Os militares devem patrulhar a Penha e o Alemão por 90 dias, até serem substituídos por um novo grupo. A tropa deve ficar no local até a instalação de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) nas favelas.

Tudo o que sabemos sobre:
RioexércitoUPP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.