Exportação de açúcar do Brasil seguirá fraca até abril

As exportações de açúcar do centro-sul do Brasil devem continuar baixas durante a entressafra, até abril, já que as usinas preferem reter estoques para atenderem ao mercado interno, disseram fontes setoriais na terça-feira.

INAÊ RIVERAS, REUTERS

08 de novembro de 2011 | 19h37

Os embarques até março devem ser 2 milhões de toneladas inferiores ao do mesmo período no ano anterior, uma queda de quase 30 por cento, segundo previsões do setor. O Brasil é o maior exportador mundial de açúcar.

"É muito provável que o ritmo das exportações se desacelere significativamente daqui por diante", disse Julio Maria Borges, diretor da consultoria JOB Economia, que antevê uma queda de 10 por cento nas exportações brasileiras em relação à safra anterior.

Dados do governo mostram que os embarques de açúcar bruto e refinado entre abril, no começo da safra, e outubro totalizaram 16,2 milhões de toneladas, uma queda de quase 8 por cento em relação às 17,6 milhões de toneladas do mesmo período em 2010.

Mas as usinas dizem que a redução pode se acentuar nos próximos meses. A entidade setorial Unica projeta uma queda de 14 por cento nas vendas para o exterior durante a safra.

A redução nas exportações reflete uma queda em torno de 8 por cento na produção açucareira do centro-sul, por causa do envelhecimento dos canaviais e do clima adverso. A produção na região está prevista em 30,8 milhões de toneladas.

Além disso, algumas usinas rolaram posições do contrato outubro para março (cujo período de entrega cai em abril), de modo a terem a opção de venderem sua produção no mercado interno, caso os preços subam.

Mesmo que decidam não vender no mercado brasileiro, a mudança nos contratos adia embarques que poderiam acontecer imediatamente.

"Atualmente, o mercado local está pagando mais ou menos o mesmo que a exportação oferece, mas a demanda externa está fraquíssima", disse um corretor internacional em São Paulo.

O final da temporada da moagem da cana pode tornar o mercado interno ainda mais atraente. A Unica disse que quase 30 por cento das usinas do centro-sul --região responsável por 90 por cento da produção brasileira de cana-- devem concluir as atividades da atual safra até o dia 15.

A previsão de redução nas exportações nos próximos meses já obrigou um importante operador do porto de Santos a reprogramar suas atividades.

"Estamos antecipando alguns embarques de grãos que havíamos programado para o final do ano", disse o diretor de uma empresa, acrescentando que os terminais precisarão "varrer o chão" dos armazéns para conseguirem o máximo possível de açúcar na entressafra.

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSBRASILACUCAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.