Exportação de carne de frango do Brasil cai 7,2% no 3o tri

As exportações brasileiras de carne de frango caíram 7,2 por cento no terceiro trimestre de 2011, impactadas por custos maiores, o câmbio, menor demanda europeia e um embargo parcial da Rússia, informou nesta quarta-feira a União Brasileira de Avicultura (Ubabef).

REUTERS

05 de outubro de 2011 | 13h36

Os embarques caíram no trimestre para 970.306 toneladas, afetando o volume exportado no acumulado do ano, que agora registra crescimento de 1,6 por cento ante 2010, para 2,898 milhões de toneladas.

"O terceiro trimestre deste ano representou um ápice de acontecimentos ruins para o setor", disse o presidente executivo da Ubabef, Francisco Turra, em comunicado.

O Brasil é o maior exportador de carne de frango do mundo.

"Tivemos o problema do embargo aplicado pelo governo russo, que suspendeu as importações de vários de nossos frigoríficos. Para completar, ocorreu uma redução nas encomendas da União Europeia, já como reflexo dos problemas que atingem alguns países do Velho Continente", acrescentou.

Além dos problemas com Rússia e União Europeia, o resultado do trimestre reflete também "uma combinação de dois fatores perversos para as exportações do setor", segundo a entidade: o aumento de custos e a valorização do real frente ao dólar.

Apesar da queda em volume no trimestre, a Ubabef ainda mantém projeção de crescimento nos embarques do Brasil de 3 a 5 por cento no ano.

"O último trimestre é historicamente aquecido para as exportações do setor, e este cenário será mais beneficiado pela valorização do dólar. Com isto, mantemos as projeções...", disse Turra.

Só em setembro, o dólar passou a se valorizar frente ao real, em meio à crise financeira na Europa, melhorando a competitividade dos exportadores no Brasil.

Em setembro, as exportações de carne de frango in natura do Brasil somaram 277,7 mil toneladas, queda ante as 318,2 mil toneladas de agosto e contra as 311,9 mil toneladas do mesmo mês do ano passado, segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do governo brasileiro.

A Ubabef não divulgou os números mensais para setembro, nem a receita com as exportações realizadas no acumulado do ano.

No mês passado, segundo a Secex, a receita com as exportações brasileiras subiram 9,3 por cento frente o mesmo período do ano passado, apesar da queda no volume, para 567,7 milhões de dólares.

Os preços do produto exportado estão mais elevados neste ano. Em setembro, o valor exportado da tonelada foi de 2.044 dólares, ante 1.665 dólares no mesmo mês de 2010, segundo a Secex.

(Por Roberto Samora)

Mais conteúdo sobre:
COMMODSCARNE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.