Exposições

obras de H73, nome artístico do designer Houssein Jarouche

O Estado de S.Paulo

25 Maio 2012 | 03h12

A mente de Housssein Jarouche parece funcionar como uma bolinha de pingue-pongue. O designer, dono da loja de móveis Micasa, fala de dezenas de projetos e sonhos para explicar o Manipresto, intervenção que ele e mais três artistas realizam na 'Casa do Lado' - imóvel contíguo à loja - a partir de hoje (25).

As telas que ele produz com fitas adesivas (fotos) sob o pseudônimo de H73 dividem o sobrado dos anos 50 com os lambe-lambes do arquiteto Bruno Gomes, que também é diretor gráfico do Estúdio 20.87, coletivo de criadores que funciona ali, na Micasa. A mostra é complementada pelas serigrafias espirituosas de Abidiel Vicente, que brincam com elementos da cultura pop (como logomarcas de refrigerantes) e objetos do dia a dia, e de Ivone Paiva, que segue a mesma linha.

Um jornal de mesmo nome, produzido em tiragem limitadíssima (de mil exemplares), será distribuído durante a exposição. Sua proposta? Compartilhar as ideias que inspiram o designer e seu grupo de amigos. O primeiro número traz, por exemplo, um ensaio fotográfico do americano Todd Selby na casa do estilista Alexandre Herchcovitch e do empresário Fábio Souza; artigos sobre Buckminster Fuller e Victor Papanek, pioneiros do design humanitário. Jarouche quer que tudo isso seja a semente de um projeto maior, que envolve a revitalização do centro da cidade. "Meu sonho é ajudar a impulsionar um urbanismo mais cuidado", diz ele, que pretende abrir um hotel por lá. Camila Hessel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.