FAB monitora espaço aéreo após nuvem chegar no RS

A Força Aérea Brasileira (FAB) divulgou nota na tarde de hoje informando que monitora o avanço de nuvem de cinzas expelida pelo vulcão chileno e coordena desvios do tráfego aéreo. A nuvem atingiu hoje o Sul do Brasil, na região da fronteira com o Uruguai. Segundo o Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), a camada de fumaça está concentrada na faixa de 5.200 a 7.600 metros.

MARCELA GONSALVES, Agência Estado

07 Junho 2011 | 18h19

O CGNA acompanha a evolução da nuvem por meio de informações trocadas com o Volcanic Ash Advisory Centres da Argentina, instituto responsável pelo monitoramento da situação nessa região do planeta. "Recebemos informações a cada três horas ou sempre que houver alguma mudança significativa", afirmou o major aviador Antonio Marcio Ferreira Crespo, gerente nacional do fluxo de tráfego aéreo.

Mais conteúdo sobre:
vulcão Chile nuvem

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.