FAB transporta aprovados na 2ª fase do Mais Médicos

Aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) iniciam neste sábado, 26, o transporte dos aprovados na segunda etapa do Programa Mais Médicos para os Estados onde atuarão. Nesta quinta-feira, 25, 2.182 profissionais estrangeiros, a maioria de Cuba, fizeram a prova do curso de três semanas de acolhimento.

LÍGIA FORMENTI, Agência Estado

25 Outubro 2013 | 17h49

Os aparelhos partem de Brasília, Vitória, Belo Horizonte e Fortaleza. Esta será uma das maiores operações para transporte de passageiros e de material executadas pela FAB. Além dos médicos, aviões deverão transportar provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para cidades de difícil acesso no Norte do País.

Serão usados 11 aparelhos, nos modelos Hércules C130, Embraer 145, Bandeirante e Amazonas. As operações começam às 5h30. Do total de médicos estrangeiros, 361 não usarão aviões da FAB porque se encontram nos Estados onde atuarão. Além do tamanho da operação, o deslocamento chama a atenção pelo tom político. Foram destacados para receber os profissionais nos redutos eleitorais três ministros de Estado. Em Santa Catarina, os médicos serão recepcionados pela chefe da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, Ideli Salvatti. No Paraná, pela chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann.

Em São Paulo, pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Ele fará uma maratona para receber profissionais. Neste sábado, além da capital paulista, Padilha receberá médicos que desembarcarem em Goiânia. Neste domingo, 27, em Manaus. Profissionais aprovados na segunda etapa serão enviados para todos os Estados do Brasil.

Pelo cronograma, na terça-feira, 29, todos deverão estar nas capitais dos Estados onde atuarão. Eles permanecem uma semana para a última etapa de treinamento e somente então serão enviados para os postos de trabalho. O número de aprovados e a lista dos municípios escolhidos para receber os profissionais estrangeiros deverão ser divulgados neste sábado, 26.

Aqueles que tirarem nota inferior a 3 são reprovados. A média entre 3 e 5 dá direito a um curso de recuperação. Já aqueles que tirarem nota acima de 5 são aprovados. Na primeira etapa, dos 682 estrangeiros que fizeram o curso, apenas um foi reprovado. Outros 11 ficaram de recuperação. Deste grupo, um desistiu do curso e os outros dez passaram na segunda prova.

Na primeira etapa, os médicos formados no exterior foram enviados para cidades que não despertaram interesse de profissionais brasileiros integrantes do Mais Médicos. Os municípios remanescentes da lista deverão ser contemplados nesta segunda etapa. Os critérios para escolha das demais cidades foram: indicadores de pobreza na população, proporção dos que dependem, exclusivamente, do Sistema Único de Saúde (SUS) e infraestrutura para atendimento.

Mais conteúdo sobre:
Mais Médicos segunda fase

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.