Felipe Rau/AE
Felipe Rau/AE

Faça você mesmo

Ovos, fichas e fome de chocolate

28 Março 2012 | 21h55

Veja como seguir o exemplo do Paladar, que reuniu 11 leitores para provar 48 ovos de Páscoa, para fazer o teste às cegas, no estilo morde e anota.

1. Todos os ovos em uma cesta. É difícil, mas se a ideia é comparar, é preciso escolher uma categoria. Não vale comprar ovos de tipos diferentes, porque não há como comparar um ovo mais sério, quase austero, com um brincalhão, mais caramelo. Definido o recorte, providencie os ovos.

2. Faça suas fichas. Pode parecer exagero, mas a ficha conduz a conversa. E chama a atenção para cada um dos aspectos a serem avaliados. Na nossa, colocamos: visual, aroma, tato, sabor e avaliação geral. É bom para lembrar de olhar, cheirar e apertar antes de sucumbir ao impulso da uma mordida.

3. Arrumação da mesa. Para funcionar, uma degustação às cegas precisa ser preparada com antecedência. Tire os ovos das embalagens - e preste atenção aos bombons, que podem ser dedo-duros. Organize-os sobre folhas de papel branco ou pratos brancos.

4. Para o intervalo. Para limpar a boca entre uma prova e outra, deixe à mão água com gás e fatias de pão.

5. Cuspideira. Dependendo do tamanho da prova, se for muito chocolate, é bom cuspir. Parece desperdício, mas é o contrário: depois de muitas mordidas, fica difícil, ruim até, e se um chocolate delicioso ficou para o fim, corre o risco de nem ser percebido. Para descolados, basta um balde. Para os tímidos, copos individuais funcionam melhor. Para damas e cavalheiros de boas maneiras, que não conseguem cuspir em público nem no copinho individual, guardanapos.

6. Chame os amigos. A degustação pode ser solitária, claro. Mas quanto mais papilas, melhor. Porque é quando alguém lembra de outro gosto e coloca na mesa que a coisa fica mais divertida. 

7. Defina o método. Se a intenção for decidir qual é o melhor ovo, é preciso definir os critérios. Pode ser por notas, que foi o que adotamos, ou por voto direto - o melhor é escolhido ao final. Aí é torcer para dar empate, porque o tira-teima, de comparação direta, é emocionante. 

8. Revelação. Eleito o campeão, que seja dito seu nome. E para o brinde, uma taça de Banyuls, o vinho parceiro dos chocolates.

Mais conteúdo sobre:
Paladar

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.