Facções do Partido Comunista lutam por poder na China

Ala jovem e grupo de Xangai querem garantir vagas na liderança do Politburo.

Marina Wentzel, BBC

15 de outubro de 2007 | 09h55

O 17º Congresso do Partido Comunista começou em Pequim nesta segunda-feira em meio a uma luta entre duas facções pelo controle político do Comitê Permanente do Politburo, a mais alta instância de poder na China.Durante a semana do Congresso, será escolhido um novo Comitê Central para o Partido Comunista (PC) Chinês, um conselho com centenas de membros que, ao final do evento, endossará a composição do Politburo. O Politburo, por sua vez, é formado por mais de vinte representantes e capitaneado pelo Comitê Permanente, que atualmente tem nove integrantes. Segundo analistas, Congresso será palco de um enfrentamento entre as duas facções do partido na disputa pelas vagas nesta cúpula. De um lado está a chamada 'ala jovem' do PC chinês partido e, do outro, o grupo de Xangai. O presidente Hu Jintao e o primeiro ministro Wen Jiabao pertencem à 'ala jovem' do partido e ambicionam comandar o processo de escolha da quinta geração de líderes, que comandará a China a partir de 2012.Já o grupo de Xangai é a facção do ex-presidente Jiang Zemin. O grupo deteve a liderança do país no final dos anos 90 e no começo da década seguinte, mas está em declínio. A facção foi fortemente abalada pela recente torrente de investigações e condenações relacionadas a casos de corrupção. O ex-secretário geral do partido em Xangai, Chen Liangyu, foi demitido e expulso por participar do desvio de pelo menos um terço de um fundo de pensão de US$ 1,2 bilhão para empréstimos ilegais e investimentos em propriedades, entre outros negócios obscuros."O grupo de Xangai já perdeu a batalha. Mas ainda não dá para prever se Hu Jintao colocará todos seus protegidos (no Comitê Permanente). Também existe a possibilidade de reduzirem o número de vagas para sete", acredita o professor e articulista politico Chan Che Po. "Provavelmente Zhou Yongkang e He Guoqiang entrarão para o Comitê Permanente e isso é sinal de que o poder de Hu Jintao é relativo", avalia Willy Po-Lap Lam, analista político chinês e autor do livro Chinese Politics in the Hu Jintao Era (Política chinesa na Era de Hu Jintao, em tradução livre). Zhou Yongkang é ministro de Segurança Pública e He Guoqiang é responsável por investigar candidatos elegíveis a promoções dentro do partido. Ambos são protegidos de Zeng Qinghong, atual membro do Comitê Permanente e adversário de Hu Jintao. Zheng deverá se aposentar após esse congresso, mas pode continuar exercendo influência através de Zhou e He, como disse à BBC Brasil o analista Willy Po-Lap Lam. O congresso do partido dura uma semana e é o evento mais importante no calendário político da China.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.