Facebook ajuda FBI a prender quadrilha que causou prejuízos de US$850 mi

Investigadores liderados pela polícia federal dos Estados Unidos (FBI) e apoiados pelo Facebook desarticularam uma quadrilha internacional que infectou 11 milhões de computadores em todo o mundo e causou mais de 850 milhões de dólares em perdas em um dos maiores casos de crimes cibernéticos da história.

Reuters

12 Dezembro 2012 | 12h54

O FBI, trabalhando em conjunto com a maior rede social do mundo e diversas agências policiais internacionais, prendeu 10 pessoas acusadas de infectar computadores com o software maligno "Yahos" e, em seguida, roubar informações de cartões de crédito e dados pessoais das máquinas atingidas.

A equipe de segurança do Facebook ajudou o FBI após o "Yahos" ser direcionado a seus usuários entre 2010 e outubro de 2012, disse a agência federal dos EUA em comunicado. A rede social ajudou a identificar os criminosos e as contas afetadas, informou o FBI.

Os "sistemas de segurança deles conseguiram detectar contas afetadas e a fornecerem ferramentas para remover estas ameaças", afirmou o FBI.

Segundo a polícia federal norte-americana, que também trabalhou em conjunto com o Departamento de Justiça dos EUA, os hackers acusados usaram a rede de computadores zumbis "Butterfly Botnet". Botnets são redes de computadores infectados que podem ser usados para uma série de ataques digitais.

O FBI informou que deteve 10 pessoas da Bósnia Herzegovina, Croácia, Macedônia, Nova Zelândia, Peru, Reino Unido e Estados Unidos. Os policiais também executaram uma série de mandados de busca e conduziram interrogatórios.

A polícia estima que o total de perdas geradas pelo grupo em mais de 850 milhões de dólares, mas não deu mais detalhes.

Mais conteúdo sobre:
TECH FACEBOOK FBI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.