Fachadas na favela Santa Marta recebem pintura

A favela Santa Marta vai ficar mais colorida. Moradores da primeira comunidade no Rio de Janeiro a receber as forças de pacificação, há quatro anos, terão as fachadas de suas casas revitalizadas. A ação social promovida pelas tintas Coral doará 300 mil litros de tinta em 25 diferentes tonalidades aos habitantes do morro.

HELOISA ARUTH STURN, Agência Estado

29 de novembro de 2012 | 19h05

Nesta quinta-feira, o tenista Gustavo Kuerten, o Guga, esteve na favela da zona sul para o lançamento do projeto, e ajudou a pintar um dos muros da comunidade que abriga 6 mil pessoas em cerca de 1,5 mil imóveis.

Também houve um protesto silencioso de moradores que habitam a parte mais alta do Morro Dona Marta. Eles afixaram faixas nas paredes de cerca de dez barracos. Com os dizeres "`Favela Modelo'' de quê?", questionavam a ausência de serviços básicos no local.

A assessoria de imprensa do governo informou que os moradores manifestantes resistem à remoção das casas localizadas em área de risco. São 62 barracos que serão demolidos, e as famílias serão transferidas para um conjunto habitacional, cujas obras estão em andamento.

Tudo o que sabemos sobre:
pinturafavela Santa Marta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.