Falta de escoramento causou queda de muro, diz laudo

A retirada do telhado para obras de um shopping sem um estudo prévio sobre a necessidade de escorar a estrutura foi determinante para a queda da parede de uma antiga fábrica de tecidos, no final de dezembro de 2012, em Sorocaba (SP). O acidente causou a morte de sete pessoas. A conclusão é de um laudo da perícia entregue nesta quinta-feira à Polícia Civil. De acordo com a delegada Daniela Lara de Góes, que preside o inquérito sobre o caso, outros fatores como a data da construção, de 1913, e a chuva acompanhada de vento, contribuíram para o desabamento.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

14 de março de 2013 | 17h45

O laudo aponta ainda a vibração causada pelas máquinas que eram utilizadas na obra do shopping e pelos veículos que trafegavam pela rua como uma das possíveis causas do acidente. Os escombros da parede de tijolos maciços atingiram quatro automóveis e uma moto que passavam pela rua. As vítimas estavam nesses veículos e morreram soterradas.

As obras do shopping foram embargadas e liberadas somente após o escoramento das paredes remanescentes, um mês depois do acidente. A delegada informou que ainda precisa ouvir especialistas de várias áreas e pessoas que trabalharam na obra para chegar a possíveis culpados. "Se houver necessidade de laudo complementar, vamos requisitar", disse.

Não há prazo para a conclusão do inquérito. A construtora Fonseca&Mercadante, responsável pelas obras do Shopping Pátio Cianê, informou em nota que não concorda com a íntegra do laudo e tem plena consciência da correção de todas as medidas adotadas desde o início das obras. A empresa informou estar à disposição das autoridades e ter interesse na completa apuração das causas do acidente.

Tudo o que sabemos sobre:
muroquedaSorocabalaudo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.