Faltam docentes nas escolas estaduais

Os estudantes das escolas estaduais de São Paulo têm se acostumado com a ausência de professores, principalmente nas disciplinas de arte, geografia, sociologia e matemática. A falta de docentes atinge a rede e preocupa a Secretaria Estadual de Educação - que já liberou a convocação de profissionais reprovados em exame do Estado e de alguns que nem fizeram essa prova.

O Estado de S.Paulo

04 Maio 2012 | 03h01

Em escolas como a Prof.ª Ondina Rivera Miranda Cintra, em Santo André, Região Metropolitana de São Paulo, a falta de professores é grave e coloca em risco o ano escolar dos alunos. Um docente ouvido pela reportagem diz que há turmas que só tiveram duas aulas de geografia desde o início das aulas.

A pasta defende que o déficit de professores no Estado é de apenas 0,6% em todo o Estado. Significa dizer que para suprir aulas livres e em substituição de toda a rede estadual seriam necessários cerca de 1,3 mil professores - considerando a média de 23 aulas por docente.

A secretaria não detalha quantas escolas sofrem com a ausência de professores e quais regiões são mais atingidas.

Segundo o professor Volmer Pianca, diretor do Sindicato dos Especialistas de Educação do Magistério Oficial do Estado de São Paulo (Udemo), a situação da falta de professores tende a piorar nos próximos anos. "Só este número de 1,5 mil já é um absurdo. E as coisas vão se complicar porque a juventude não está mais optando por licenciaturas porque a carreira de professor não é mais atraente. A começar pelo salário inicial, que é base comparado com outras carreiras. E toda a estrutura das escolas é desestimulante", diz ele. A Udemo é o sindicato dos diretores de escola.

Em nota, a secretaria afirma que a situação deve melhorar com o passar dos anos por causa da política salarial adotada pelo governo - o projeto do Estado prevê para o quadriênio de 2011 a 2014 o aumento acumulado de até 42,2% para o magistério.

A pasta defende que, por ser muito grande, a rede tem uma movimentação constante. As causas são falecimentos, aposentadorias, exonerações, demissões ou afastamentos temporários. O governo informou que vai publicar edital para novo concurso público de professores no próximo semestre, quando promete ter convocado pelo menos 32 mil aprovados em 2010. / P.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.