Família de estudante morta em cruzeiro quer explicações

Amigos da família disseram que o pai passou este sábado, 20, internado em estado de choque

AE, Agencia Estado

20 Dezembro 2008 | 18h40

O corpo da estudante Isabella Baracat Negrato, morta no cruzeiro universitário realizado pelo navio MSC Opera, no Litoral Norte paulista, chegou a Bauru por volta das 17h40 e será velado a partir das 20 horas. Ela era a mais velha das duas filhas do médico endocrinologista Carlos Antonio Negrato e cursava Direito na Instituição Toledo de Ensino, na própria cidade.       Veja também:  Passageira morre em cruzeiro universitário Amigos da família disseram que o pai passou este sábado, 20, internado em estado de choque, e a mãe e outros familiares viajaram para São Sebastião para cuidar da liberação e transferência do corpo. Seu primo, Rogério Negrato Castro, disse que a jovem era saudável e não apresentava qualquer indício de ser usuária de drogas. Castro disse que a família buscará saber se ela teria ingerido grandes quantidades de álcool e, principalmente, se ingeriu drogas e em que condições isso teria ocorrido. Conforme o apurado, deverão ser cobradas responsabilidades da armadora em relação aos passageiros que transporta. A hora do sepultamento, que ocorrerá no domingo, 21, ainda não está marcada.

Mais conteúdo sobre:
Isabella Negrato cruzeiro morte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.