Família do Texas que achou esqueleto de mamute entrega fóssil a museu local

Uma família do norte do Texas que descobriu o esqueleto de um mamute que pode ter entre 20 mil e 40 mil anos de idade enquanto escavava sedimentos no solo de sua fazenda, está se preparando para entregar os restos mortais do animal pré-histórico para um museu.

LISA MARIA GARZA, REUTERS

26 Agosto 2014 | 20h39

Em maio, Wayne McEwen e sua família estavam recolhendo materiais em uma escavação de cascalho em sua propriedade, no sul de Dallas, quando seu filho acertou uma presa de 1,8 metro enquanto operava uma escavadeira.

O resto do esqueleto, que estava quase completo, foi desenterrado por uma equipe de uma faculdade comunitária da região, que determinou que o animal era um mamute columbiano - uma versão um pouco maior e menos peluda do mais célebre mamute lanoso.

A família decidiu doar os fósseis para o Museu Perot de Natureza e Ciência de Dallas.

Ron Tykoski, um paleontólogo do museu que está trabalhando com uma equipe para preparar o espécime para transporte, disse que o esqueleto está quase intacto, faltando apenas alguns ossos da perna.

"Achamos muitos fósseis de mamutes no Texas, mas normalmente é um dente aqui, uma presa ali, ou um pedaço de mandíbula, afirmou Tykoski na terça-feira.

"Isso é incomum. Parece que o animal só se deitou e morreu".

Não há indícios de que a carcaça tenha sido alterada por animais carniceiros, provavelmente porque uma inundação a cobriu de sedimentos pouco após sua morte, afirmou.

Acredita-se que o animal seja uma fêmea por causa do tamanho pequeno, do comprimento das presas e do alargamento nos ossos da pélvis.

O animal tinha entre 2,4 e 2,7 metros de altura, tamanho similar ao de uma fêmea de elefante asiático de hoje.

"Ela precisava ficar no norte do Texas, onde as comunidades locais possam apreciá-la por muito tempo", disse McEwen em comunicado.

(Reportagem de Jon Herskovitz)

Mais conteúdo sobre:
EUA MAMUTE TEXAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.