Família é encontra morta em Cotia, na Grande SP

"Deus que me perdoe, não consegui cuidar dos meus filhos." A frase escrita com lápis de cor na parede da cozinha e os quatro pratos de comida postos à mesa são o retrato do que aconteceu com a família do cabeleireiro Claudinei Pedrotti Júnior, de 39 anos, no último fim de semana. Na manhã desse domingo, 8, ele, a mulher, também cabeleireira Suelen Cristina da Silva, de 26 anos, e os dois filhos, Vitória, de 2 anos, e Pedro Henrique, de 7 anos, foram encontrados mortos na mesma cama, na casa de três cômodos da família no bairro Mirante da Mata, em Cotia, na Grande São Paulo.

EDISON VEIGA, Agência Estado

09 de setembro de 2013 | 08h33

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Ricardo Pagrion Filho, a polícia trabalha com a hipótese de homicídio seguido de suicídio. Isto porque há duas semanas o cabeleireiro havia dito a uma prima que pretendia matar a família, sem especificar os motivos. Depoimentos de parentes indicam que Pedrotti Júnior passava por problemas financeiros.

Envenenamento

A família foi vista pela última vez na noite de sexta-feira, 6. Estranhando o forte cheiro de podridão e a falta de movimentação na casa, um vizinho pediu a um garoto que olhasse pela vidraça se havia algo de anormal na casa na manhã de domingo.

O garoto viu os corpos, já em estado de decomposição, e o vizinho avisou à polícia. Os PMs encontraram as quatro vítimas na mesma cama, poças de sangue e os pratos na mesa da cozinha.

Não havia vestígios de disparos. Peritos coletaram amostras e, segundo o delegado, a conclusão preliminar é de que as mortes tenham sido causadas por veneno, que o pai teria posto na comida. O delegado ainda informou que Pedrotti Júnior tinha passagem pela polícia por disparos de arma de fogo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
mortefamíliaCotia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.