Família reconhece corpo de jovem que foi morta no PR

Aline, de 18 anos, tinha sinais de abuso sexual; namorado da mãe da garota é suspeito

JULIO CESAR LIMA, Agência Estado

02 Outubro 2013 | 20h49

O corpo da jovem que foi encontrada morta em uma estrada rural de Fazendinha, no Paraná, foi reconhecido como Aline Moreira, de 18 anos. A adolescente, que estava desaparecida desde a última sexta-feira, 27, foi localizada na terça, 1º, com sinais de abuso sexual. Na semana passada, ela sumiu após pegar carona com o namorado da mãe, José Ademir Radol, 48 anos, em Mafra, Santa Catarina.

O corpo foi reconhecido nesta quarta-feira, 2, no IML de Curitiba (PR), pelo irmão da vítima, Irdes Correia. Radol, que tem passagem pela polícia catarinense por violência sexual, é o principal suspeito do crime e está foragido.

A mãe da garota, Leonilda Kurlapski, disse que antes de perder o contato com a filha recebeu uma mensagem dela pedindo socorro. Radol, que é mecânico, ofereceu carona para a garota na sexta-feira, pois ele iria comprar pneus e Aline se encontraria com o namorado, em Curitiba.

Depois do desaparecimento da garota ele chegou a fazer contato com Leonilda, disse que a havia deixado na Rodovia do Xisto, na Região Metropolitana de Curitiba, mas não deu sua localização. O carro, que era propriedade de Leonilda, foi encontrado no mesmo local em que Aline morreu.

A polícia de Rio Negro, que está investigando a morte de Aline, informou que a principal hipótese é de a adolescente ter sido assassinada com pancadas na cabeça. O corpo da jovem, que estava nua, tinha sinais de hematomas na parte superior do crânio.

Mais conteúdo sobre:
Corpo Reconhecido Paraná

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.