Familiares das vítimas do 447 criam associação no RJ

Familiares de pelo menos 12 passageiros brasileiros do voo 447 da Air France se reuniram nesta manhã no Rio de Janeiro e formaram a Associação das Famílias das Vítimas do Voo 447. O objetivo do grupo é somar esforços aos familiares de franceses mortos na queda do Airbus, de modo a garantir seus direitos. A reunião foi na casa do aposentado Nelson Marinho, pai do mecânico de engrenagens Nelson Marinho Filho, de 40 anos. Ele foi escolhido um dos representantes da associação, a qual pretende registrar na segunda-feira.

ROBERTA PENNAFORT, Agencia Estado

20 de junho de 2009 | 15h16

Marinho contou que já contactou a associação francesa. O aposentado pede que parentes de vítimas brasileiras que ainda não tenham entrado em contato com ele o façam imediatamente. "Faço um apelo para que a imprensa me ajude a divulgar a associação. Vamos criar um e-mail e divulgar também. Juntos, temos mais força. Isoladamente, ninguém vai nos escutar. Nós temos que ser rápidos".

A primeira preocupação da associação é achar um advogado com experiência em casos de acidentes aéreos que defenda seus interesses. "Vamos entrar com pedido de tutela antecipada para receber o restante do seguro. Estão dando uma ninharia às famílias, quando o seguro total é muito maior", afirmou o aposentado. Os familiares das vítimas cobram também mais informações sobre o trabalho de identificação dos corpos resgatados, que está sendo feito em Recife desde o dia 11.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.