Familiares dos passageiros do AF 447 formam comissão

Os familiares dos passageiros do voo AF 447 formaram hoje uma comissão de 12 pessoas para acompanhar os trâmites das operações de busca pelo Air Bus 330 da Air France. A primeira reivindicação dos parentes é enviar um grupo deles para o Cindacta 3, em Recife, onde está montada a base das operações. O objetivo é levantar todos os detalhes sobre o resgate. "Estas pessoas representarão neste momento os interesses dos familiares destas pessoas neste infeliz acidente", disse o gerente de hotel Maarten van Sluys, irmão da passageira Adriana van Sluys, que viajava a trabalho pela Petrobras.

PEDRO DANTAS, Agencia Estado

03 de junho de 2009 | 18h28

Amanhã, às 10 horas, a comissão promoverá uma missa em memória dos desaparecidos na Igreja da Candelária, no Centro do Rio de Janeiro. Nesta manhã, a ideia de viajar até o Recife dividiu os familiares reunidos pela Air France no Hotel Windsor, na orla da Barra da Tijuca. Alguns avaliavam que o sistema montado pela Marinha e pela Aeronáutica, que disponibilizaram oficiais em contato direto com a base de operações em Recife, seria suficiente.

A aeronave da Air France desapareceu no Oceano Atlântico com 228 pessoas a bordo durante o trajeto Rio de Janeiro-Paris. De acordo com a companhia e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), 58 brasileiros embarcaram na aeronave. O último contato do Airbus ocorreu às 23h14 de domingo. Ontem (2), o Ministério da Defesa brasileiro confirmou o acidente, com base em destroços encontrados próximo à costa do País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.