Fãs de Jackson protestam no julgamento de médico acusado da morte do cantor

Conrad Murray era o médico pessoal do cantor, e foi contratado apenas seis semanas antes da sua morte. Ele nega as acusações de homicídio culposo.

BBC Brasil, BBC

27 de setembro de 2011 | 18h58

Fãs do cantor Michael Jackson se reuniram nesta terça-feira em frente ao tribunal onde o médico acusado pela morte do músico está sendo julgado, em Los Angeles. Familiares de Jackson foram ao primeiro dia do julgamento. Eles culpam Conrad Murray pela morte do "Rei do Pop" em 2009.

Murray era o médico pessoal do cantor, e foi contratado apenas seis semanas antes da sua morte. Ele evitou a imprensa em sua chegada ao tribunal, e nega as acusações de homicídio culposo. O primeiro dia de julgamento se concentrou nas últimas horas de vida de Michael Jackson e no uso do anestésico cirúrgico propofol, que causou a morte do cantor.

Jackson tinha mais de vinte miligramas da substância em seu organismo. Ele estaria usando o remédio para combater a insônia. O júri irá decidir quem administrou o medicamento: o médico ou o próprio músico.

Quando morreu, Jackson estava se preparando para o início de uma série de shows em Londres. Com eles, o astro esperava voltar a brilhar, depois de ficar doze anos longe dos holofotes.

Os advogados do médico dizem que o cantor deve ter injetado, ou então tomado por via oral, uma dose extra do remédio.

A acusação, por sua vez, diz que a omissão e a negligência do médico levaram diretamente à morte prematura de Jackson. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.