Fazenda projeta alta de 15% nos investimentos

Objetivo da renovação dos cortes de impostos, segundo ministério, é elevar investimentos e evitar alta de juros

FABIO GRANER, ADRIANA FERNANDES e RENATA VERÍSSIMO, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

10 Dezembro 2009 | 00h00

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse ainda que o "novo ciclo" de expansão será puxado pelos investimentos, que vão crescer 15% em 2010, e acredita que será possível manter a trajetória nos anos seguintes. Ele prevê que em 2010 a taxa de investimento será de 18% do Produto Interno Bruto (PIB).

Com o novo pacote anunciado ontem, o governo fez a opção de renovar por mais tempo, mas ainda de forma provisória, os incentivos dados durante a crise. Porém, tornou mais distante a possibilidade de medidas mais estruturais, como a desoneração da folha de pagamento das empresas e a retirada ampla e definitiva da tributação de investimentos e exportações. As medidas atendem ao interesse do governo de elevar a taxa de investimento da economia, considerada a variável-chave para que o PIB continue crescendo, sem provocar inflação.

Se isso de fato ocorrer, dificilmente o Banco Central terá de puxar o freio dos juros para desacelerar a demanda. Mantega aposta que o Brasil já vive uma fase de franca aceleração do nível de atividade com recuperação dos investimentos. Ele estimou que o PIB do terceiro trimestre, que será divulgado hoje pelo IBGE, cresceu 8% em termos anualizados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.