Febre aftosa

A Secretaria de Agricultura de São Paulo dá algumas dicas aos produtores rurais para a vacinação dos rebanhos ocorrer eficientemente

O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2008 | 03h25

Informações importantes- A campanha começou dia 1.º e vai até dia 31 de maio em São Paulo e nos Estados do Circuito Pecuário Leste- O pecuarista tem até 9 de junho para comunicar e comprovar a vacinação na Coordenadoria de Defesa Animal (CDA), sob pena de ser multado- As mesmas datas e recomendações valem para a vacinação contra a raiva dos herbívoros, que é obrigatória somente em 3 regiões do Estado: Mogi das Cruzes, Guaratinguetá e Pindamonhangaba- Na última campanha de vacinação contra aftosa, em novembro de 2007, São Paulo alcançou índice de 99,18%, de um rebanho total de 11,92 milhões de cabeças Orientações para o criador- Adquira vacina somente de estabelecimentos cadastrados na Coordenadoria de Defesa Animal- Tanto no transporte como no armazenamento, a temperatura de conservação da vacina deverá ser mantida entre 2 e 8 graus centígrados- Classifique os animais por faixa etária e sexo, visando a declaração a ser entregue nos escritórios- Escolha o horário mais fresco do dia para realizar a vacinação- Substitua a agulha freqüentemente, para evitar infecções- Nunca congele a vacina- Para manter a temperatura de conservação, o transporte deve ser realizado em caixa isotérmica (isopor) contendo no mínimo dois terços de seu volume em gelo- Mantenha os frascos resfriados durante a operação, no recipiente de isopor, com gelo- Vacine preferencialmente no terço médio do pescoço

Mais conteúdo sobre:
febre aftosaagricola

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.