Fernandinho está pronto para fazer a estreia. Graças a Dona Nena

Fernandinho agradecerá a sua mãe, Dona Nena, quando entrar em campo para estrear pelo São Paulo, hoje. Não fosse pelo esforço dela, o atacante não teria chegado tão longe. Foi Dona Nena que cuidou sozinha do pequeno Luiz Fernando, chamado sempre de Fernandinho, e de outros dois filhos - Rita de Cássia e Diogo - em Ameixas, interior de Pernambuco. Lá foi o refúgio da família depois que eles foram abandonados pelo pai.

Marcius Azevedo, O Estadao de S.Paulo

28 de fevereiro de 2010 | 00h00

"Nasci em São Paulo, no bairro de Santo Amaro, mas meus pais se separaram. O meu pai nos abandonou e então fui embora com minha mãe", revela ao Estado.

O jogador não gosta de falar sobre o assunto... "Ele não fez bem nem mal para mim. Não sei como seria se ele continuasse conosco, talvez fosse melhor, mas nunca tive essa relação de pai e filho. Minha mãe fez o papel dos dois. Cuidou muito bem da gente. E é isso que importa para mim."

O esforço da mãe fez Fernandinho ir atrás do sonho. O primeiro clube foi o Cambé, em 2004. Depois passou pelo Central de Caruru no ano seguinte e chegou ao Ferroviário do Ceará em 2006, quando se destacou e foi contratado pelo Iraty, do Paraná, em 2007. Jogou ainda no Daejeon Citizen, da Coreia do Sul, em 2008, até desembarcar no Barueri. As atuações no Brasileiro de 2009 o transformaram na revelação - por eleição da CBF - e fizeram o São Paulo apostar nele.

Agora, após quase dois meses no clube, Fernandinho, recuperado de contusão, está liberado para jogar. "Estou bem, sem dor nenhuma no pé, só falta ritmo de jogo", diz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.