Ferrari tem seu pior início em 17 anos no GP da Austrália

A Ferrari registrou seu pior início de campeonato dos últimos 17 anos neste domingo, quando uma aposta arriscada saiu pela culatra para a escuderia italiana.

JULIAN LINDEN, REUTERS

29 de março de 2009 | 10h58

Restou à equipe procurar respostas depois de ficar sem um único ponto na corrida de abertura do campeonato pela primeira vez desde o GP da África do Sul de 1992.

Kimi Raikkonen, campeão em 2007, bateu no muro a três voltas do final e o brasileiro Felipe Massa, vice-campeão no ano passado, saiu da corrida faltando 13 voltas com um aerofólio dianteiro quebrado.

"Com certeza não foi um início digno da Ferrari", disse o chefe da equipe Stefano Domenicali. "Em resumo, foi um dia para esquecer."

A Ferrari sabia muito antes de domingo que suas chances de vencer a prova eram escassas, por isso decidiu apostar suas fichas na estratégia ao invés da velocidade pura e simples.

Ambos os pilotos largaram com pneus macios na esperança de obter uma vantagem inicial sobre seus adversários com pneus mais duros, que demoram mais para aquecer.

Mas o plano fracassou quando seus pneus começaram a se desgastar depois de somente cinco voltas e, ao voltar aos boxes para trocá-los, ficaram presos atrás do safety car.

"Fiz uma ótima largada, mas os pneus macios foram um problema", disse Massa.

"Tivemos que ir pros boxes muito mais cedo do que imaginávamos, e a entrada do safety car logo em seguida estragou totalmente minha estratégia."

"Foi um péssimo início de temporada."

Raikkonen disse ter tido problemas com a aderência do carro depois de colocar pneus duros, mas culpou somente a si mesmo por bater no final da prova.

"Bati bem forte no muro", disse o finlandês. "De repente perdi a traseira. Esses pneus são complicados, mas provavelmente o erro foi meu."

Mais conteúdo sobre:
F1FERRARI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.