Fibra de sisal na construção civil

Resíduo da indústria de artesanato, a fibra fina poderá ser matéria-prima na mistura com cimento

O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2007 | 02h31

A fibra de sisal está sendo testada para uso no setor de construção civil. A fibra longa já é largamente empregada em tradicionais artesanatos, mas a fibra fina é um resíduo que vira lixo e um problema ambiental, sobretudo na Bahia, responsável por 92% da produção nacional de sisal.Num projeto tocado pelo Sebrae Nacional e o Sebrae da Paraíba, em conjunto com a Universidade Federal de Campina Grande (PB), a Unesp de Botucatu (SP) e a USP de Pirassununga (SP), há estudos para substituir o amianto em compostos de cimento pela fibra de sisal. Segundo o gestor do projeto Fibra de Sisal, que começou oficialmente no ano passado e deve durar três anos, Antônio Felinto Neto, há experimentos para a produção de compósito de cimento adequado ao uso da fibra de sisal. ''''Entre outubro e novembro, será feita a avaliação dos primeiros resultados'''', diz.Segundo Felinto Neto, estão sendo testadas, na mistura, diversos tamanhos de fibra. ''''O gargalo, porém, tem sido a lignina das fibras naturais'''', diz. ''''Ela reage com o cimento, e desarticula as propriedades mecânicas do compósito.''''Na USP de Pirassununga já há um trabalho patenteado, para o desenvolvimento de pequenas telhas feitas a partir da polpa de celulose de sisal. ''''As telhas podem ser utilizadas em moradias rurais, estábulos e galpões'''', diz o professor-titular em Construções Rurais e Ambiência da USP, Holmer Savastano Júnior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.