Fila de navios para açúcar no Brasil aumenta por chuva e greve

A fila de navios aguardando para carregar açúcar no Brasil aumentou para 87, ante os 81 registrados há uma semana, por chuvas e uma greve dos inspetores sanitários nos portos, atrasando os embarques, afirmou a agência marítima Williams em relatório divulgado na quarta-feira.

Reuters

19 de julho de 2012 | 17h34

O número de navios aguardando nos portos brasileiros também aumentou com a colheita da safra 2012/13 da região centro-sul do país aumentando o ritmo.

O clima chuvoso em Santos e Paranaguá recentemente desacelerou o carregamento de açúcar bruto em porões abertos.

O Brasil é o mais importante produtor de açúcar, e controla metade as exportações mundiais da commodity.

Espera-se que a safra desta temporada seja maior que no ano passado, devido a um melhor rendimento e a um aumento do plantio de cana, mas somente um pouco.

A produção de açúcar pode acabar se concretizando abaixo das expectativas atuais, se chuvas mais fortes do que a média continuarem a diminuir o teor de sacarose das plantas de cana, dizem analistas.

Sob um clima mais úmido, as usinas tendem a favorecer a produção de etanol ao invés do açúcar, mas até agora isso não aconteceu.

Em Santos, principal porto brasileiro para exportações de açúcar, a fila de navios subiu para 52 navios, ante 44 na semana passada.

A fila em Paranaguá, segundo mais importante porto, diminuiu em dois navios, para 33 embarcações esperando para carregar açúcar, bruto e branco.

(Por Reese Ewing)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSACUCARFILA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.