Filho de Jobim foi alvo aleatório, diz delegado

O delegado Fábio Arty, que investiga o assalto ao apartamento em que estava o filho do Ministro da Defesa, Nelson Jobim, acredita que a escolha do alvo tenha sido aleatória. "Os criminosos não sabiam que o morador era filho do ministro. Eles ficaram dentro do elevador, esperando que alguém acionasse o equipamento. O prédio tem um apartamento por andar, e a porta já abre dentro do apartamento."

CLARISSA THOMÉ, Agência Estado

28 Junho 2011 | 19h08

A polícia divulgou hoje imagens de prédios vizinhos ao edifício da Rua Joana Angélica, em Ipanema, no Rio de Janeiro, onde o advogado Alexandre Kruel Jobim passava o feriado com a mulher, Candice Galvão, o filho de três anos e a babá.

"Não parecem (ser) integrantes de uma quadrilha. Acreditamos que são pessoas que tenham outras profissões e que possam ser identificadas pela população", disse Arty. Outro ponto que favorece as investigações é o fato de os criminosos terem roubado joias das marcas Cartier e H.Stern. "São joias identificáveis e os receptadores podem pegar até quatro anos de prisão."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.