Filho de Renata desapareceu por 47 dias

Garoto perdeu a memória e não voltou para casa da faculdade

Paula Felix, O Estado de S. Paulo

09 Maio 2015 | 18h02

 Parecia mentira o desaparecimento do filho único em pleno 1.º de abril do ano passado. Mas foi só após 47 dias de sofrimento que a técnica de raio X Renata (nome fictício), de 42 anos, reencontrou o jovem, então com 21 anos, em Jundiaí, no interior paulista, e pôde levá-lo de volta para casa.

“Ele estava voltando da faculdade quando desapareceu. Procuramos no trem, em hospitais, delegacias, no IML (Instituto Médico-Legal). Eu só tenho ele e foi muito sofrido.”

Renata e o marido pararam de trabalhar. Eles contaram com a ajuda de amigos e vizinhos para correr atrás do filho, que ela prefere manter o nome em anonimato. No último Dia das Mães, a única coisa que fez foi procurá-lo.

“Tinha uma esperança muito grande. Minha sacada fica de frente para o ponto final da perua e eu ficava esperando o dia inteiro. Mas ele não aparecia e vinha um desespero. Ele é um filho maravilhoso e nunca me deu trabalho”, conta, entre lágrimas.

A mãe diz que o jovem havia perdido a memória e estava recebendo os cuidados de uma família em Jundiaí. Ao retomar as lembranças, voltou para casa. “Não imaginava que ia encontrar tanta gente boa. Agradeci muito àquela família. Levamos ele ao médico e ele fez um tratamento”, relata a mãe.

Ainda afastado de suas atividades diárias, como a faculdade, o rapaz vai celebrar a data hoje ao lado da mãe. “Vai ser muito feliz. Não sei explicar a minha alegria. Agora queremos voltar a ter uma vida normal”, diz Renata. 

Mais conteúdo sobre:
dia das mães superação mães

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.